Exaustão e presentismo em enfermeiros de medicina interna hospitalar

  • J´´ulia Ferreira
  • Hernâni Veloso Neto ISLA-IPGT
Palavras-chave: Enfermeiros, Medicina Interna, Presentismo, Stresse, Burnout

Resumo

Mais de metade dos profissionais de saúde no mundo são enfermeiros, sendo uma
atividade bastante suscetível à exposição a stresse, esgotamento e presentismo ocupacional. A
exigência física e mental constante da profissão em contexto hospital faz com que os riscos
psicossociais do trabalho sejam uma dimensão importante a considerar na gestão da segurança e
saúde do trabalho destes profissionais. Neste estudo, realizado com uma amostra de enfermeiros de
dois serviços hospitalares de medicina interna, no qual participaram 15 profissionais com pelo
menos 3 anos de experiência, procurou-se perceber o grau de stresse e burnout nesses profissionais,
e em que medida essa condição podia estar a suscitar presentismo e a limitação da capacidade de
trabalho. Foi aplicado um inquérito por questionário a esses profissionais, com escalas validadas
sobre estas problemáticas, e verificou-se um nível moderado de stresse, uma incidência baixamoderada
de burnout e um nível moderado de presentismo. Contudo, 73,3% dos enfermeiros
manifestou trabalhar mesmo quando se encontra doente.

Publicado
2022-03-15
Secção
Artigos