Riscos psicossociais na atividade de formador de uma escola profissional

  • Ana Amorim ISLA
  • Hernâni Veloso Neto
Palavras-chave: Formadores, Escola profissional, Stresse, Exaustão profissional, Coping

Resumo

As escolas profissionais têm sofrido várias mudanças ao longo dos anos, que geraram consequências a nível das condições de trabalho dos docentes. Assim, este trabalho tem como principal finalidade a análise e avaliação de riscos psicossociais presentes nesta atividade, nomeadamente em termos de níveis de stresse e exaustão profissional. Para o efeito foi elaborada uma abordagem metodológica que incluiu, por exemplo, a aplicação de um questionário a conjunto de docentes/formadores de escola profissional do Norte de Portugal, abrangendo dimensões como o stresse ocupacional, a exaustão profissional, o coping de situações stressantes na atividade da docência e dados socioprofissionais. Também foi efetuada uma avaliação de riscos, tendo por base o Método Simples para Avaliação de Riscos Psicossociais do Trabalho. Os dados apurados evidenciaram que os docentes em estudo apresentavam um nível de stresse elevado, mas um nível baixo quanto à exposição ao burnout. Quanto à utilização de estratégias de coping, conclui-se que o grupo de docentes faz uma boa utilização das estratégias de coping, tendo valores elevados na dimensão das tarefas e baixos nas emoções e no evitamento.

Publicado
2020-02-07
Secção
Artigos